Desenvolvimento de um Plano de Conservação de Equipamentos em Armazenamento para o Inventário da Planta

Conheça como planejar e executar um plano de proteção de ativos em armazenamento para evitar perdas causadas pelos efeitos da corrosão.

Quando se trata de inventário, um plano sólido de preservação de equipamento pode economizar para suas instalações não milhares, mas milhões de dólares por ano, estendendo a vida útil dos ativos armazenados. Além dessa economia, também irá garantir maior confiabilidade dentro da planta na hora de colocá-las em operação.

Baixe aqui nosso catálogo do Programa de Preservação de Ativos em Armazenamento 3PA da Chesterton

Os custos ocultos da corrosão nos ativos em armazenamento

Devido aos tempos de entrega extremamente longos e os locais remotos, muitas plantas industriais operando em ambientes agressivos (como é a indústria de petróleo e gás) compram peças e equipamentos com muita antecipação para tê-los disponíveis quando necessário, mantendo um inventário bastante grande.

Esta estratégia é útil, pois evita possíveis situações que requerem paradas de emergência que podem ser muito caras. No entanto, a menos que seja gerenciado de maneira adequada, um inventário de peças e equipamentos desprotegidos pode ter implicações dramáticas de custo que são frequentemente esquecidas.

Degradação do inventário

As condições de armazenamento do inventário nem sempre são ideais. Algumas peças industriais são até armazenadas ao ar livre. Temperaturas extremas, umidade, oxigênio e ambientes corrosivos podem ser extremamente prejudiciais à integridade da maioria das peças metálicas e não metálicas.

Os metais se corroem com o tempo, enquanto os polímeros e os materiais plásticos

A corrosão pode degradar rápidamente o inventário desprotegido.

Essa degradação pode criar um grande desafio para as instalações que esperam que as peças em estoque estejam prontas para o serviço quando necessário. É justamente nesses momentos que a qualidade da peça “nova” começa a ser questionada. A ferrugem de uma peça que vai para o equipamento crítico afetará a confiabilidade de toda a operação? Qual é a integridade estrutural de uma válvula corroída? A correia de borracha que se tornou rígida e quebradiça ainda funcionará corretamente? Essas são incertezas com as quais nenhum operador ou gerente deseja lidar.

Instalar uma peça sobressalente corroída prematuramente geralmente significa que o equipamento está fadado a falhar muito mais cedo do que o esperado.

Para evitar essas falhas prematuras derivadas da degradação dos equipamentos, a A.W. Chesterton recomenda criar e investir em um plano abrangente de proteção contra corrosão de ativos armazenados.

Manutenção preventiva em ativos em armazenamento

Para inventário novo ou que ainda estão em condições relativamente boas, é aconselhável desenvolver um plano de proteção e preservação para cada equipamento ou tipo de peça

Componentes das válvulas comprometidos, por não contar com a proteção adequada.  adecuada.
Componentes despois da restauração e conservação. Programa 3PA da Chesterton.

Devido à ampla variedade de materiais manuseados em uma operação industrial típica, as soluções de preservação variam. Algumas soluções podem ser muito específicas, dependendo da complexidade do elemento e do tipo de material.

Por exemplo, trocadores de calor, bombas, tubos e válvulas, com grandes macro superfícies para proteger, seriam tratados de forma diferente dos rolamentos de precisão ou sistemas pneumáticos que requerem uma solução que atenda aos detalhes mais finos do equipamento.

Superfícies de metal

Um método para evitar a corrosão de peças de metal é armazená-las em recipientes com Inibidores de Corrosão Volátil (VCIs). Esse tipo de embalagem contém substâncias inibidoras de corrosão que criam um vapor químico e eventualmente formam uma fina camada protetora nas peças armazenadas. O maior desafio com o recipiente VCI é garantir que seja hermético, o que pode ser difícil de conseguir em componentes grandes. Este tipo de inibidor de corrosão torna-se menos eficaz com a entrada de ar e umidade, o que leva ao rápido esgotamento do inibidor, resultando na presença de corrosão.

O recipiente VCI geralmente leva a problemas de corrosão, a menos que seja hermético.

O melhor método para proteger as superfícies metálicas da corrosão é aplicar um revestimento preventivo que irá mitigar sua degradação como resultado da umidade e outras condições ambientais. O protetor de óxido para Serviços Pesados ​​Chesterton 740 é um revestimento protetor que forma uma película elástica cerosa e é virtualmente impermeável à umidade e vapores corrosivos. O Chesterton 740 é um revestimento durável e deve proteger as peças por até dois anos. É ideal para componentes grandes e superfícies espessas, como os trocadores de calor, válvulas e tubos mencionados anteriormente.

Proteção do inventário contra a corrosão com o Protetor Contra Ferrugem de Tarefa Pesada Chesterton 740.

Componentes complexos e peças metálicas de precisão

Componentes de precisão como rolamentos, componentes elétricos, correntes e eixos devem ser protegidos com uma película inibidora de corrosão ultrafina e levemente oleosa. Dependendo da aplicação, pode não ser necessário remover este tipo de filme antes de colocar o componente em serviço. Esta proteção pode ser facilmente pulverizada sobre os componentes ou aplicada por imersão. Este tratamento preservará os componentes por até seis meses, dependendo das condições ambientais.

Equipamento restaurado e protegido com o Protetor Contra Umidade, Chesterton 775.

Peças não metálicas

As peças não metálicas, como plástico e outros componentes poliméricos, também precisam de proteção durante o armazenamento. Polímeros como correias de borracha, anéis de vedação e uma variedade de outros plásticos se decompoem devido à luz ultravioleta (UV), ozônio e ataque de vapor químico.

Por exemplo, uma correia de borracha que enrijece enquanto está em estoque não terá tração ou força de agarre suficiente, resultando na redução da transferência de energia do motor para a máquina.

Um fato importante a se considerar é que os polímeros usados ​​para selar componentes elétricos podem rachar (micro trincar) e permitir que a umidade penetre no verniz isolante das placas de circuito impresso. Isso resulta em curto circuitos e falha prematura.

Chesterton 730 Spagrip®, é uma solução impermeável que serve como sistema de conservação de proteção para correias de borracha, o-rings e mangueiras.

Os polímeros rígidos podem ser selados e protegidos com o revestimento acrílico, Chesterton 421. Este polímero transparente de secagem rápida é adequado para a proteção de componentes elétricos.

Reabilitação / recuperação de inventário

Para equipamentos e peças que já sofreram os efeitos de seus ambientes de armazenamento, nem tudo está perdido! na maioria dos casos.

O óxido e a oxidação podem ser removidas ou transformados quimicamente em um filme inibidor de corrosão. Uma vez que a oxidação é tratada, um revestimento conservante de longo prazo deve ser aplicado para evitar que ocorra novamente.

O Super Removedor de Ferrugem Chesterton 338 é uma solução poderosa que remove o óxido e a oxidação enquanto condicionam ou tornam as superfícies de aço passivadas antes da aplicação de uma camada protetora de longo prazo, conforme mencionado acima.

Inventário danificado
inventário restaurado
inventário protegido

Desenvolvimento de um plano estratégico de conservação de equipamentos

É assim que a Chesterton recomenda abordar a proteção de estoque; esse método foi comprovado com ótimos resultados.

  1. Avalie o valor atual do inventário e as perdas potenciais devido à degradação de ativos:

A primeira etapa é olhar objetivamente seu inventário atual para determinar os custos de operação por perda / restauração.

Determine o valor de:

  1. Inventário em perfeitas condições
  2. Inventário em condições marginais aceitáveis
  3. Inventário que não se pode reparar e deve-se descartar
  • Faça uma estimativa do custo da quantidade anual de estoque não reparável e não recuperável que deve ser descartado (considerando desperdício e / ou descarte).
  • Determine uma estimativa de custo por NÃO PRESERVAR / PROTEGER o estoque atual novo e marginal de sua operação. Qual é o custo do inventário oxidado ou comprometido, se isso resultar em perda de equipamento e falha prematura? Qual é o custo de colocar esses itens em serviço em relação ao desempenho e tempo de atividade de longo prazo?

Esta é uma avaliação que deve ser multidisciplinar, onde estejam presentes todos os envolvidos, e compreendam os problemas e as implicações de custo / desempenho.

  • Chegar a um acordo em grupo sobre a necessidade de proteger melhor o inventário
  • Estabelecer um orçamento anual de proteção
  • Determine o método para rastrear o ROI
  1. Classificar e priorizar:

Separe seu inventário em duas áreas:

  • Equipamentos / peças que podem ser recuperadas com alguma restauração
  • Equipamentos / peças que estejam em boas condições para receber proteção

Priorize o equipamento que você precisa tratar inicialmente por criticidade e rastreie o progresso em uma planilha. Estabeleça seu plano de ação (plano restaurador) e cronograma.

  1. Determine a tecnologia de proteção correta:

Em seguida, divida esses grupos em tipos de equipamentos / peças conforme descrito acima e determine o melhor método de preservação para cada grupo. Seu fornecedor local. A. W. Chesterton pode ajudá-lo nesta fase.

  1. Adquira materiais, acessórios e defina pessoal (MO)

Com base na área a ser preservada e protegida ou restaurada, é necessário adquirir a tecnologia adequada. Se aplicável, solicite equipamento de pulverização, tanques de imersão adequados, equipamentos de proteção e / ou semelhantes.

Estabeleça uma área de trabalho conveniente de tamanho suficiente, monte mesas e planeje a mão de obra para implementar o plano de restauração / preservação.

5. Aplicação / formação adequada:

Como acontece com todos os sistemas, você deve treinar a equipe para usar os materiais de maneira adequada e segura. Seu fornecedor local, engenheiro de aplicação, equipe de vendas e serviços AW. A Chesterton fornecerá treinamento para o pessoal da planta, se o trabalho for realizado internamente; ou se o seu orçamento permitir, você pode contratar mão de obra especializada.

6. Armazenamento e monitoramento:

Após a preservação / restauração, os componentes devem ser monitorados trimestralmente e ações corretivas devem ser implementadas se qualquer recorrência de corrosão for observada.

Resumo

A maioria das operações de exploração, produção e refino de petróleo e gás gasta milhões na “compra” anual de novo inventário. É fundamental preservar esse investimento. Com um plano de manutenção de equipamentos bem pensado e customizado, sua operação terá um inventário de qualidade disponível em excelentes

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *



Más Notas

É suficiente o Monitoramento de Vibrações do Bomba para Evitar Falhas?

30 de Setembro de 2021

As medições de vibração e temperatura da superfície são os métodos mais comuns para monitorar a condição...

Preservação Proativa de Manutenção de Equipamentos, Sobressalentes e Componentes em Armazenamento

2 de Março de 2021

De acordo com a NACE (Associação Americana de Engenheiros de Corrosão), o custo direto da corrosão nos...

Como os revestimentos reforçados com cerâmica afetam as práticas de manutenção na indústria de mineração de cobre?

27 de Outubro de 2021

Sabe-se que todas as atividades de mineração têm um problema comum que não só afeta o funcionamento...